Regina Barros leal

O conhecimento do Homem passa pelo entendimento de si mesmo. Está tudo em você!

Textos

CHEIRO DE PRIMAVERA
Cheiro de primavera
Regina Barros Leal
Escuto a música e os meus olhos observam os jardins floridos, encantados pela chegada da estação das flores, do amor, do sublime momento em que a natureza renasce e sorri com vários Parece que brinca com o tempo, saltitando na música e correndo com o vento. Preenche-se de flores com seus tons coloridos, pétalas, azuis, brancas, e ternamente nos transposta a lugares nobres, envolvendo nossas almas em expansão. No deleite do som suave dos ventos e o perfume doce das flores minha alma, canta canções nunca ouvidas, arrebatando-se ao espaço infinito.
Na inebriante estação, sinto amor pela humanidade, pelo universo imponderável.  Sentimento que não se traduz em palavras, nem gestos, mas sim no alcance da consciência filosófica.
Suspiro forte. O céu, abre-se como uma cortina dourada, surgem os raios de luzes, cantando a música da estação do verde, da esperança, do fluido etéreo do amor divinal. A primavera se espalha no chão, diluída na bálsamo sublime. Pasma, deixo-me levar pelo encantamento do inefável sentimento de bondade!
No silencio do êxtase, sinto meu coração confiante na sinfonia do ar. Escuto o som das flautas dos anjos brancos, quase etéreos, no espaço cósmico do universo. A música enche meus ouvidos de acordes melodiosos sem que eu consiga quase respirar. Assumindo o folego, busco a linha do horizonte, onde posso descobrir o arco íris! A transcendência do universo enche minha alma de benevolência. Momento magnifico, onde minhas mãos, tocam delicadamente nas teclas e escrevo sentimentos, emoções, são os suspiros d’alma! Letras se unem em narrativa singular.
As palavra veem e não consigo parar de escrever! Respiro forte e absorvo o ar inebriada pelo adorável aroma. Imagino os córregos preenchendo os sulcos da terra, as flores perfumando o ambiente claro e magnânimo. As cachoeiras, a luz do sol iluminando as manhãs e as tardes no encontro amoroso com a noite vestida de estrelas.
Escrevo vislumbrando a nova era, enroscando-se no tempo e abrindo alas para as rosas balsâmicas, os pastos verdes, os amores cantantes, os recintos escondidos nas fendas abertas ao preenchimento das águas correntes. A natureza na sua magnificência acorda o tempo, em sua estação primaveril. Os sinos tocam, os pássaros revoam sobre os jardins, as pessoas vestem-se de cores, o sol brilha suntuoso e o universo RENASCE.
Eis aí a primavera ao som de Vivaldi!

Regina Barros Leal
Enviado por Regina Barros Leal em 11/04/2020


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras